sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Após 1 ano do atual governo, prefeitura planeja

"Planejando asfaltar a avenida Padre Nestor Sampaio, criando assim uma nova via de acesso rápido da av. Ailton Gomes para av. Leão Sampaio".
Fonte: twitter do prefeito

Achamos que após um ano de gestão a escolha de vias da malha municipal a serem asfaltadas já deveria está definida, e um cronograma permanente de benfeitorias poderia já está elaborado. Já haviamos postado sugestões de avenidas, binários, e ruas a serem contempladas com tal pavimentação. Mais uma vez cumprimos com nosso papel social, ofertando gratuitamente a esta gestão -enquanto consultorias cobram pequenas fortunas pelo mesmo serviço - e assim, apresentando a sociedade, às mais diversas comunidades, e a gestão municipal nossas 18 principais sugestões sobre o assunto - logradouros a serem asfaltados:

01- Avenida José Bezerra (trecho Castelo Branco-Virgílio Távora)
02- Avenida marginal oeste do Parque Ecológico (trecho Ailton Gomes-Castelo Branco)
03- Avenida Maria Edinir B. Mendonça (trecho Ailton Gomes-Castelo Branco)
04-Avenida Virgílio Távora (trecho Aeroporto-divisa com o município de Missão Velha - também postado no twitter do prefeito como prolongamento em estudo)*
05- Avenida Duarte Júnior (trecho Virgílio Távora-Pedrinhas)
06- Avenida Lindalva Rodrigues Bezerra (trecho José de Melo-Av. do Agricultor)
07- Avenida Manoel Coelho de Alencar (trecho Castelo Branco- Sebastião Mariano da Silva/ em direção a divisa com o município de Barbalha)*
08- Avenida Tenente Coelho (trecho Plácido Aderaldo Castelo-Campus da UFC/divisa com o município de Barbalha em direção ao distrito de Estrela)*
09- Avenida Letícia Pereira (trecho Atacadão Rio do Peixe-Paizinho Sabiá/prolongamento da Humberto Bezerra/prolongamento da Manoel Coelho de Alencar)
10- Avenida Padre Nestor (trecho Leão Sampaio-Aílton Gomes)
11- Avenida Paulo Maia (trecho Av. Padre Cícero-divisa com o município do Crato)*
12- Avenida Ailton Gomes (trecho Atacadão Rio do Peixe-divisa com o município de Barbalha)*
13- Avenida José de Melo (trecho Ponte sobre o Rio Salgado-Sopé da ladeira do Horto/Av. Lindalva Rodrigues)
14- Avenida Castelo Branco (trecho prolongamento da mesma via em direção ao Bairro Betolândia/Brejo Seco)
15- Binário Duca Bringel- Manoel Balbino (Trecho Leão Sampaio-Ailton Gomes)
16- Binário Tenente J. Luiz Coelho Rocha-José de Matos França (trecho Praça José Ilânio-Fórum)
17- Rua Frei Damião (trecho Ailton Gomes - Bairro Tiradentes/ Sítio Touro)
18- Rua Luciano Torres de Melo (trecho Leão Sampaio- Distrito Industrial)

* Todos os trechos citados envolvendo acessos a localidades de municípios vizinhos deveria ter um planejamento conjunto a nível de órgãos deliberadores da RMC- Região Metropolitana do Cariri, em parceria com as respectivas prefeituras envolvidas.

Existe uma herança das administrações municipais anteriores de ofertar pavimentação asfáltica a ruas de trânsito local e com grande densidade demográfica. Interpretamos esta medida como populista e eleitoreira. Nossas escolhas apresentadas acima visam melhorar o deslocamento entre os mais diversos pontos da nossa cidade, melhorando o trânsito que já acumula diversos pontos de congestionamento. Nenhum itinerário de linhas de ônibus deveria esta sem asfalto. Jovens universitários locais e de outras cidades (que também geram divisas locais) deveriam ter o conforto de acessar aos campi do Bairro Cidade universitária com mais conforto. Avenidas e binários devem ser prioritários a ruas.
A avenida Leão Sampaio têm importantes pontos de congestionamento. Analisamos que existem poucos retornos, que é uma característica de vias de trânsito rápido. Uma alternativa plausível é a viabilização de vias paralelas, com destaque para a Av. Ailton Gomes, que poderia ser intermunicipalizada através de prolongamento. Uma das ruas paralelas ao oeste da Leão Sampaio poderia em mão única, sentido Lagoa Seca-Triângulo permitir o retorno em direção ao centro sem necessitar de retorno na CE-060.
Outro ponto crucial se deve ao fato da estrada Juazeiro-Barbalha concentrar tráfego para vários destinos, apesar de ser em direção ao sul de Juazeiro, esta via é a principal via de tráfego para Fortaleza, ao norte; e capitais do leste nordestino (Natal, João Pessoa, Recife, Maceió), também ao leste de Juazeiro, onde o melhor acesso seria diretamente por Missão Velha, via Aeroporto, Av. Castelo Branco, etc...

3 comentários:

  1. DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA...



    "As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
    têm direito inalienável à Verdade, Memória,
    História e Justiça!" Otoniel Ajala Dourado



    O MASSACRE APAGADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA


    No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi o MASSACRE praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato "JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA", paraibano de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.



    O CRIME DE LESA HUMANIDADE


    O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.


    A AÇÃO CIVIL PÚBLICA AJUIZADA PELA SOS DIREITOS HUMANOS


    Como o crime praticado pelo Exército e pela Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é considerado IMPRESCRITÍVEL pela legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, por isto a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza - CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos



    A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO


    A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.



    AS RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5


    A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;



    A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA


    A SOS DIREITOS HUMANOS, igualmente aos familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.


    QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA


    A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do "GEOPARK ARARIPE" mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?



    A COMISSÃO DA VERDADE


    A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.


    Paz e Solidariedade,



    Dr. Otoniel Ajala Dourado
    OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
    Presidente da SOS - DIREITOS HUMANOS
    Membro da CDAA da OAB/CE
    www.sosdireitoshumanos.org.br
    sosdireitoshumanos@ig.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá um abraço.

    Colocações perfeitras e concordo em todos os sentidos. è necessário reamente se repensar os c ritérios de "asfaltamento" das nossas artérias.

    ResponderExcluir
  3. Agradecemos a partipação e retribuímos caloroso abraço!

    ResponderExcluir